Benefícios do limão para a saúde

“Se a vida te der um limão, faça uma limonada”. Quem quiser obter benefícios precisa seguir este conselho.

O limão é uma fruta versátil: serve para fazer sorvetes, sucos e vitaminas, para temperar saladas (em substituição ao vinagre) ou marinar peixes, frutos do mar, carnes de boi e porco. Cem gramas de sumo de limão fornecem apenas 26 calorias, o que torna a fruta um auxiliar eficaz nas dietas de emagrecimento. Com as cascas do limão, é possível obter óleos essenciais.

O limão não fornece gorduras. A cada cem gramas, a fruta fornece 138 miligramas de potássio, 26 miligramas de cálcio, oito miligramas de magnésio, 0,6 miligrama de ferro (não é uma fonte adequada), além das vitaminas A, C e D.

Em latim, a palavra “citrus” significa “limão”, que é a principal fonte de ácido cítrico. Trata-se de uma fruta utilizada pelos seres humanos. A maioria das espécies teve origem na Ásia, de regiões entre o centro da Índia e o sudeste do Himalaia. Ainda é possível encontrar limoeiros silvestres, em formato de arbustos, no subcontinente indiano.

Provavelmente, o limão foi introduzido na Europa no século VII pelos árabes muçulmanos, que, até o século XIII, dominaram todo o norte da África, oeste e centro do Oriente Médio e diversos trechos da Europa mediterrânea, inclusive a península Ibérica. Na América, o fruto foi introduzido pelos colonizadores portugueses e espanhóis.

Os benefícios do limão para a saúde

Por ser rico em vitamina C, o limão fortalece o sistema imunológico e reduz os riscos de infecções e inflamações. Quando gripes e resfriados já estão instalados, no entanto, não há nada a fazer a não ser atenuar os sintomas e deixar que as viroses sigam o seu curso.

Mas, mesmo nestes incômodos períodos, o limão é útil: um chá com o sumo da fruta adoçado com mel é excelente para amenizar especialmente os irritantes (e por vezes incapacitantes) sinais respiratórios: espirros, tosse, coriza, dificuldade para respirar, etc.

No trato intestinal

O sumo de limão, puro ou misturado com amido de milho, é um popular remédio caseiro para tratar diarreias. Por outro lado, a fruta é rica em fibras, que estimulam os movimentos do intestino. Uma destas estruturas é a pectina, uma fibra solúvel que tem a propriedade de se unir ao açúcar, formando um gel espesso.

Isto impede a absorção de todo o açúcar ingerido e torna mais lenta a ingestão do restante, impedindo picos de glicemia no sangue e conferindo saciedade por mais tempo entre as refeições. Além de contribuir em dietas de emagrecimento, o consumo de limão combate o inchaço abdominal, também por causa das propriedades diuréticas.

As fibras são carboidratos complexos a ponto de não serem metabolizados pelo organismo humano. A função de parte delas – as insolúveis – é apenas de aumentar e homogeneizar o bolo fecal. Com isto, o limão, ao estimular o funcionamento do intestino, combate a prisão de ventre e contribui para eliminar toxinas do organismo.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda a ingestão diária de 50 gramas de fibras; os brasileiros, porém, de acordo com dados do Ministério da Saúde, ingerem apenas 20% deste valor. No médio prazo, a ausência deste carboidrato pode levar ao estreitamento das paredes do intestino, levando ao excesso de pressão das fezes no órgão, o que acarreta sérios transtornos, como diverticulite, hemorroidas e câncer colorretal.

Os limonoides abundantes na fruta (limonina, nomilina e ácido nomilínico) apresentam propriedades antivirais, antifúngicas, bactericidas, antimaláricos e anticarcinogênicos, especialmente na inibição de neoplasias no cólon e no reto.

Doenças degenerativas

São enfermidades que levam a lesões irreversíveis e evolutivas. Elas determinam limitações em diversas funções orgânicas vitais, especialmente as de natureza neurológica e osteomuscular. Estas doenças causam a degeneração das células e podem afetar todos os sistemas do corpo humano.

As doenças degenerativas mais comuns são as demências (como o mal de Alzheimer), esclerose múltipla, esclerose lateral amiotrófica, artrose, osteoporose, reumatismo, gota, diabetes tipo 2, hipertensão arterial, aterosclerose, glaucoma e alguns tipos de câncer.

Em geral, as doenças degenerativas, para as quais ainda não se encontrou a cura, são devidas a fatores genéticos, mas podem ser estimuladas por fatores externos, como má alimentação e sedentarismo, por exemplo. O consumo de limão pode retardar os efeitos e sintomas, em função das suas propriedades anti-inflamatórias.

Mais vitamina C

O limão é uma das frutas mais ricas em vitamina C (ácido ascórbico). Perde apenas para a acerola e para alguns frutos dificilmente encontrados, como o camu-camu, nativo de igapós (regiões alagadiças da floresta Amazônica). O consumo diário recomendado é de 70 gramas e cem gramas do suco de limão fornecem 53 gramas.

O consumo regular de ácido ascórbico acelera os processos de cicatrização (reduzindo os riscos de infecções) e alivia os sintomas de dores e incômodos causados por doenças dos ossos, tendões, articulações e músculos (como a gota, artrite e reumatismo), em função das propriedades anti-inflamatórias conferidas pela vitamina C.

Limão para a saúde e beleza

A vitamina C combate o excesso de radicais livres, átomos ou moléculas com íons não pareados; falta um elétron em suas estruturas e, com isto eles se tornam instáveis, tendo de procurar outra estrutura atômica para “roubar” a partícula elétrica negativa que lhes falta.

Os radicais livres se formam naturalmente no organismo: são subprodutos de atividades metabólicas como a respiração, a digestão e a excreção: basicamente, eles se originam a partir da queima de oxigênio nas células.

A prática de exercícios físicos em séries intensas também aumenta a aspiração do oxigênio e produz íons não pareados. Nestas condições, a combinação de gás oxigênio e glicose no interior das células, fenômeno que resulta na produção de energia, ocorre mais rapidamente – e o resultado é a produção excessiva destes íons.

Alguns hábitos daninhos, no entanto, aumenta excessivamente o total de radicais livres no organismo. É o caso do tabagismo, abuso de bebidas alcoólicas, estresse constante, exposição constante a alguns produtos químicos (como pesticidas e solventes industriais) e à poluição ambiental, radiação ultravioleta (emitida pelo Sol principalmente entre 10h e 16h), etc.

Felizmente, o consumo de alimentos ricos em antioxidantes (limão e outras frutas cítricas, frutas vermelhas, cereais integrais, azeite, sementes de abóbora, linhaça, chia e gergelim e frutos do mar) é suficiente para manter os radicais livres sob controle).

A má alimentação e o avanço da idade – e os brasileiros estão vivendo cada vez mais –, altera este equilíbrio, provocando o envelhecimento precoce, com o enfraquecimento da pele e consequente surgimento de rugas e linhas de expressão. Por isto, acrescentar um copo diário de suco de limão à dieta diária prolonga o aspecto diário.

O excesso de oxidação não causa apenas problemas estéticos. Inúmeras pesquisas desenvolvidas nas últimas três décadas indicam que o excesso de radicais livres está associado a inúmeras doenças, como câncer, aterosclerose e inflamações diversas. Para ajudar a evitá-las, é fundamental a ingestão de limão e de outros alimentos antioxidantes.

Os excessos

Infelizmente, não é possível recuperar o tempo perdido. De nada adianta elevar o consumo diário de limão: a fruta não possui o condão de reparar anomalias, transtornos e doenças já adquiridos. Da mesma forma, o efeito de um limãozinho sobre uma refeição rica em gorduras é praticamente nulo.

Existem também alguns mitos, como a terapia intensiva do limão, que teoricamente faz milagres na perda de peso e na reconquista do bom aspecto da pele. As receitas variam de tempos em tempos, mas já circulou pelas redes sociais uma verdadeira “anomalia nutricional”: tomar o suco de três limões diariamente, em jejum. Os resultados desta agressão são o desenvolvimento de gastrites e, no médio prazo, de úlceras no estômago e no duodeno.

Um suco de limão pela manhã agrega inúmeros benefícios para a saúde e a estética, como foi relacionado aqui. É preciso identificar, porém, o nível de intoxicação do organismo: uma pessoa com bons hábitos alimentares não precisa recorrer a este expediente. Além disto, o ideal é variar no consumo dos cítricos, incluindo laranja, abacaxi, acerola e outras frutas.

O limão é um alimento mineralizante. Isto significa que ele tem a propriedade de intensificar a absorção dos sais minerais fundamentais para a nossa saúde e equilíbrio orgânico. Mas, para isto, é preciso combinar a fruta com outros alimentos; do contrário, ele não encontrará nutrientes que possam ser absorvidos pelo intestino delgado.

Também Recomendamos

Deixe uma resposta