Benefícios dos ovos de galinha para a saúde

Eles já foram tachados de vilões, mas descobriu-se que combatem o mau colesterol. Conheça outros benefícios dos ovos de galinha para a saúde.

Fontes completas de proteínas, por fornecerem todos os aminoácidos essenciais para o corpo humano, os ovos de galinha sai excelentes fontes de cálcio, ferro, fósforo, vitaminas A, B6 e B12. Há um tempo, acreditava-se que o consumo deveria ser restrito a duas vezes por semana, mas atualmente os nutricionistas sugerem exatamente o dobro.

A exceção fica por conta do produto frito – e não apenas dos ovos de galinha. O excesso do uso da frigideira oxida os óleos vegetais – a nossa principal fonte de ômega 9 – e transforma gordura insaturada (boa para a saúde) em saturada, cujo consumo diário deve ser de no máximo 20 gramas.

As frituras são responsáveis por:

  • causar doenças cardiovasculares;
  • aumentar a pressão arterial;
  • favorecer o surgimento de alguns tipos de câncer;
  • reduzir a absorção de nutrientes;
  • desencadear mal-estar geral, com dores de cabeça e falta de energia;
  • estimular a deposição de gordura abdominal;
  • provocar a resistência à insulina, hormônio responsável por transportar a glicose para o interior das células.

Os aminoácidos essenciais (todos eles presentes nos ovos de galinha) são os seguintes:

• metionina – é uma proteína fundamental para a saúde da pele, unhas e cabelos. Também evita o acúmulo de gorduras no fígado e nas artérias;
• valina – é um estimulante natural, importante no equilíbrio do nitrogênio. Melhora o metabolismo muscular e a regeneração dos tecidos;
• isoleucina – atua na produção de energia e no controle das taxas de açúcar no sangue. A isoleucina induz a síntese de proteína muscular;
• leucina – atua como fonte de energia durante os exercícios físicos (inclusive a caminhada), aumentando a resistência e reduzindo a fadiga. É um nutriente importante para a regeneração dos ossos, dos músculos e da pele;
• fenilalamina – estimula o funcionamento da tireoide e preserva os vasos sanguíneos. Prolonga a sensação de saciedade, reduz os processos dolorosos e é um excelente auxiliar do controle do mal de Parkinson e da artrite;
• triptofano – é um precursor da serotonina, um neurotransmissor que representa um papel importante na inibição da ira, da agressão, do humor, do sono, do vômito e da temperatura corporal. Nas crianças, ajuda a controlar o TDAH (transtorno do déficit de atenção e hiperatividade);
• lisina – a proteína potencializa a absorção de cálcio, sendo fundamental para o desenvolvimento ósseo das crianças. A lisina intervém na produção de anticorpos e do colágeno, além de reduzir os triglicerídeos na corrente sanguínea;
• treonina – colabora na produção de colágeno e elastina, proteínas de função estrutural que formam fibras elásticas. A treonina também está presente no músculo cardíaco, no fígado, no sistema nervoso central e no sistema músculo-esquelético;
• histidina – fundamental na síntese das proteínas e na produção da hemoglobina. É essencial apenas na infância: a partir da adolescência, com o início da produção dos hormônios sexuais, o organismo passa naturalmente a produzir a substância;
• arginina – é mais um aminoácido essencial para as crianças. É importante na cicatrização de feridas e no fortalecimento do sistema imunológico.

Os benefícios dos ovos de galinha para a saúde

Os ovos de galinha são uma proteína de boa qualidade. O teor de gordura é de, em média, cinco gramas por unidade, sendo que apenas 1,5 gramas são saturadas. Pode-se consumir um ovo por dia ou em dias alternados. A exceção fica por conta dos portadores de colesterol alto (hipercolesteromia) que devem reduzir o consumo para dois ou três ovos por semana.

As proteínas dos ovos de galinha saciam com mais facilidade, fato que auxilia na perda de peso. De acordo com estudos da Universidade Pennington (Louisiana, EUA), um ovo no café da manhã reduz a voracidade ao longo de todo o dia. Mais uma vez, é necessário lembrar que o alimento deve ser consumido cozido, mexido, pochê ou em uma omelete no forno de micro-ondas, com pouco sal.

Os ovos de galinha são boas fontes de carotenoides, em especial de luteína e zeaxantina. Estes nutrientes são úteis para prevenir a degeneração macular, doença sem cura da retina que causa perda do centro do campo de visão. Trata-se de uma doença bastante comum a partir dos 60 anos.

A leucina, presente na clara dos ovos de galinha, bastante utilizada em alguns dos suplementos nutricionais preferidos pelos frequentadores de academias, mantém o corpo firme – isto é, sem flacidez. Além disto, a clara não fornece gordura, nem colesterol. A albumina presente na clara fortalece os músculos, sendo especialmente útil para os idosos.

A gema não fica atrás: as proteínas e sais minerais dos ovos de galinha estão concentrados nela. Ao comer um ovo por dia, você está consumindo vitaminas A, B12, C, E, ácido fólico (vitamina B9), selênio e colina. O selênio é importante para:

• prevenir a multiplicação celular desorganizada e, assim, impedir o desenvolvimento de diversos tipos de câncer;
• combater os radicais livres em excesso;
• estimular o funcionamento do sistema imunológico;
• melhorar o funcionamento da glândula tireoide;
• prevenir doenças cardiovasculares, em função dos efeitos anticoagulantes, que reduzem a incidência de trombos.

A colina é um cátion orgânico benéfico para os músculos, o coração, o cérebro e o fígado. As principais funções são referentes ao sistema nervoso. O nutriente é importante para a formação de acetilcolina, um neurotransmissor que regulariza a cognição e a memória e participa do controle dos batimentos cardíacos, da respiração e das atividades musculares.

Outra função importante diz respeito à formação da chamada bainha de mielina, a estrutura que reveste os nervos. Sem ela, os impulsos elétricos não conseguem caminhar através dos neurônios.

A colina também controla a frequência cardíaca e protege o organismo contra a homocisteína, substância nociva especialmente para o coração: cerca de 10% dos infartos do miocárdio estão associados ao excesso da substância, que parece ser fator preponderante na incidência do mal de Alzheimer e de outras demências.

A vitamina B9 (ácido fólico) participa de várias funções do organismo:

• mantém a saúde do cérebro e previne contra doenças como estresse e depressão;
• participa da formação do sistema nervoso dos fetos durante a gravidez;
• fortalece o sistema imunológico;
• estimula a formação das hemácias (células vermelhas do sangue), combatendo a anemia;
• previne alterações do DNA, reduzindo as probabilidades de alguns tumores, como o câncer de cólon;
• é útil no tratamento contra o vitiligo;
• também combate o excesso de homocisteína no organismo, reduzindo a incidência de doenças cardíacas e vasculares.

A vitamina A é fundamental para a boa visão, o desenvolvimento infanto-juvenil, colabora para a saúde da pele, previne infecções e tem ação antioxidante.

A vitamina B12 participa da formação das células sanguíneas (é essencial para a eritropoiese, a geração de novas hemácias), previne problemas cardíacos e AVCs, mantém o bom funcionamento do sistema nervoso e atua no metabolismo dos aminoácidos.

A principal função do ácido ascórbico, ou vitamina C, é a hidroxilação do colágeno, proteína fibrilar que dá resistência a ossos, dentes, tendões e paredes dos vasos sanguíneos. O consumo regular combate o estresse, melhora o aspecto da pele, reduz a incidência de AVCs e contribui para a queima de gordura.

A vitamina E previne doenças cardiovasculares, é essencial para a potência sexual masculina e reduz problemas na próstata (uma glândula do sistema genital dos homens). Tem um poderoso efeito antioxidante, combatendo o excesso de radicais livres e os riscos de doenças degenerativas. Alguns estudos indicam que a vitamina C pode melhorar a saúde do coração, reduzindo a formação de coágulos nos vasos sanguíneos.

Também Recomendamos

Deixe uma resposta