Benefícios da batata-doce para a saúde

Trata-se de um carboidrato complexo de baixo índice glicêmico. Conheça os benefícios da batata-doce.

Carboidratos complexos são alimentos de absorção lenta pelo organismo, que liberam aos poucos a glicose para a circulação sanguínea, garantindo um suprimento duradouro de energia para as células. É o caso da batata-doce, que não estimula demais a produção de insulina, tornando-se, desta forma, um excelente alimento inclusive para os diabéticos.

A insulina é um hormônio produzido pelo corpo humano responsável pelo transporte da glicose para o interior das células. Este nutriente, combinado com o gás oxigênio, responde pela geração da energia necessária para todas as funções metabólicas. Em função do suprimento vagaroso, a batata-doce garante o “pique” para as atividades físicas.

Além disto, esta absorção gradual aumenta a sensação de saciedade. Desta forma, a batata-doce é útil nos regimes de emagrecimento, de vez que a fome leva mais tempo para se manifestar. O tubérculo também é fonte de fibras, fator que aumenta o bolo fecal e regulariza o trato intestinal.

Os benefícios da batata-doce

A batata-doce também fornece ferro, potássio e vitaminas A, C e E, nutrientes importantes para combater o excesso de radicais livres (o tubérculo é um poderoso antioxidante), para a proteção do músculo cardíaco e para a saúde da pele, músculos e ossos.

Vale salientar que o consumo excessivo de vitamina E, especialmente sob a forma de suplementos alimentares sintéticos, é prejudicial à saúde. Os níveis muito altos do nutriente são prejudiciais à saúde. O exagero da vitamina E prejudica a absorção da vitamina K, responsável, entre outras atividades metabólicas, pela cicatrização de ferimentos.

A batata-doce pode ser consumida na sua totalidade (inclusive as folhas e raízes). O vegetal pode ser preparado cozido, assado ou frito. Uma excelente opção é preparar as folhas refogadas, com arroz e legumes, ou em ensopados; as folhas da batata-doce realçam o sabor de peixes e aves.

Os pigmentos antiocinas e antioxidantes do amido da batata-doce ajudam a prevenir vários tipos de tumores (em especial, os cânceres de pele e do sistema gastrointestinal). O tubérculo é importante também para reduzir os riscos dos metais pesados (como o cádmio, o mercúrio e o chumbo, que impedem a fixação de proteínas e enzimas).

É importante salientar: os metais pesados (que pesam mais de seis gramas por centímetro cúbico) são especialmente danosos para os pulmões (que ficam constantemente inflamados), fígado e rins (cujas atividades são prejudicadas e até neutralizadas pela presença do cádmio), articulações (mãos e pés podem se paralisar pela presença do chumbo), aparelho digestório (atingido de forma automática pelo chumbo e o cádmio) e cérebro (o mercúrio prejudica as funções nervosas).

Anti-inflamatório

A batata-doce é um anti-inflamatório natural. Graças ao betacaroteno, manganês e vitaminas B6 e C, as enzimas do tubérculo são importantes para combater inflamações internas e externas. Estudos da Universidade de Oxford (1998) demonstraram o combate efetivo a inflamações nos tecidos cerebrais e nervosos.

Um carotenoide importante presente na batata-doce é a betacriptoxantina, um betacaroteno com funções de vitamina A. Apesar de ser amplamente biodisponível no tubérculo, a betacriptoxantina é muito pouco consumida pela população; desta forma, a batata-doce é uma fonte nutricional extremamente importante e deve constar da nutrição.

A vitamina C (ácido ascórbico) presente na batata-doce também deve ser valorizada. O nutriente fortalece o sistema imunológico, reduz as probabilidades de infecções nas vias respiratórias e é um potente agente anti-inflamatório. Uma porção diária de batata-doce ajuda a manter os níveis de colágeno e reduz, por exemplo, o risco de desenvolvimento de algumas formas de artrite.

Além das vitaminas A e B, a batata-doce fornece altos níveis de sais minerais, tais como cálcio, ferro, fósforo e potássio. O açúcar (amido) presente no tubérculo é complexo, ou seja, é absorvido lentamente pelo intestino, garantindo uma fonte de energia duradoura para as células.

Açúcar no sangue

Os carotenoides presentes na batata-doce ajudam o organismo a responder positivamente à ação da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas responsável pela transferência da glicose para as células, onde o nutriente gera a energia necessária para todas as funções metabólicas. Apesar de carregar o adjetivo “doce” no nome, este tubérculo é bastante útil para os diabéticos, pois é capaz de manter estáveis os níveis de açúcar no sangue.

A vitamina B6 presente na batata-doce ajuda a reduzir os riscos do chamado “coração diabético”. A abundância de ácido clorogênico e as fibras solúveis do tubérculo reduzem a glicemia e o mau colesterol (LDL). O índice glicêmico da batata-doce é inferior ao da batata inglesa.

Mais benefícios para a saúde

A batata-doce fornece glutationa, um antioxidante metabólito baseado em moléculas de enxofre. Esta proteína específica atua como retardadora do envelhecimento. Além disto, o enxofre, combinado com oxigênio, hidrogênio e nitrogênio, tem função anti-inflamatória para o sistema nervoso central (SNC).

O tubérculo também fornece betacaroteno, um pigmento antioxidante que auxilia na fixação da vitamina A. Por isto, é importante consumir batata-doce juntamente com fígado (de aves ou vaca), ovos, agrião, couve, espinafre, cenoura e abóbora. O “truque” é simples: combine batata-doce com vegetais verde-escuros ou vermelhos e alaranjados: a vitamina A está garantida.

O estímulo à atividade cerebral, proporcionado pelo fornecimento adequado de oxigênio aos neurônios, destrói o excesso de radicais livres. Isto fortalece a memória, especialmente a memória recente, mantendo-a ativa por períodos mais longos.

A vitamina B6 aumenta a produção de anticorpos, fortalecendo o sistema imunológico, impedindo infecções e inflamações. Esta mesma vitamina do complexo B fortalece o sistema nervoso e acelera a produção de hemoglobina (as células vermelhas do sangue, que são responsáveis pela condução do gás oxigênio para todo o organismo).

Também Recomendamos

Deixe uma resposta