09 remédios naturais para mau hálito

O mau hálito é desagradável e pode prejudicar relacionamentos. Confira alguns remédios naturais para combatê-lo.

A halitose (ou mau hálito) é gerada, na maioria dos casos, na cavidade bucal – são mais de 92% dos casos. As causas mais comuns são a saburra lingual (uma placa bacteriana esbranquiçada originada pela má higiene ou por redução da produção da saliva) e doenças da gengiva (gengivite e periodontite). Em poucos casos, o sintoma pode estar relacionado ao diabetes não controlado, hipoglicemia, infecções hepáticas, renais ou intestinais. Felizmente, existem muitos remédios naturais para combater o problema.

Recentemente, pesquisa realizada pela British Dental Association revelou que, para os ingleses, o mau hálito é o odor mais repulsivo que pode ser exalado por uma pessoa. Na sequência da classificação, ficaram os maus odores das axilas, dos pés e da virilha.

O problema interfere em relacionamentos pessoais (muitos namorados foram dispensados por causa do mau hálito). Além disto, ele interfere também nas relações profissionais: é muito desagradável reunir-se ou ser atendido por alguém que sofre com o sintoma.

A prevenção do mau hálito

Em primeiro lugar, quem sofre com o mau hálito deve evitar o consumo excessivo de alimentos odoríferos (alho, cebola, etc.), alimentos ricos em proteínas e gorduras animais e também o jejum prolongado. Os adeptos de regimes alimentares “malucos” precisam se conscientizar de que passar fome e pular refeições tem como consequência apenas o chamado “efeito sanfona”: depois de alguns dias de restrições alimentares severas, o resultado é o retorno aos maus hábitos, que em nada contribuem para o controle do peso corporal.

Durante as refeições, dê preferência aos alimentos fibrosos, cuja ingestão favorece a produção das glândulas salivares. Alguns exemplos: trigo, pães e arroz integrais, e a maior parte das verduras, frutas e legumes. Não é aconselhável exagerar no consumo, que deve ficar entre 20 e 30 gramas diários. O excesso pode acelerar o funcionamento dos intestinos, causando perda de nutrientes, como magnésio, zinco, cálcio, ferro e fósforo.

O consumo de alimentos com alto teor de enxofre (repolho, couve-flor, feijões, etc.) e o abuso do café, chá preto e bebidas alcoólicas também contribui para o mau hálito, especialmente nos períodos de grande estresse ou ansiedade.

Quase sempre, o mau hálito é resultante de restos de alimentos fermentados presentes na boca. Por isto, é importante realizar uma boa higiene bucal depois das refeições, com creme dental, fio dental, limpador de língua e enxaguante bucal sem álcool. Muitas pessoas não sabem, mas parte das bactérias causadoras da halitose está presente na língua, e não apenas nas gengivas e dentes.

Ao escolher a escova de dente, surge outro mito: o de que as cerdas mais duras são capazes de promover uma limpeza mais eficaz. Para a higiene, o ideal é escolher uma escova macia, para prevenir contra possíveis agressões à gengiva e ao esmalte dos dentes. Estas duas condições são responsáveis por muitos problemas bucais – e o mau hálito está longe de ser o principal deles.

Remédios naturais contra o mau hálito

Alguns produtos facilmente encontrados em casa podem ser excelentes auxiliares do combate ao mau hálito. É o caso da erva-doce, por exemplo, que atua como higienizador bucal. O famoso chazinho da vovó também possui propriedades antimicrobianas, combatendo a proliferação excessiva de bactérias.

Inflorescências da erva-doce.
Inflorescências da erva-doce.

A canela é rica em aldeído cinâmico, um óleo essencial presente na casca das caneleiras que não apenas disfarça o mau hálito, como também inibe o desenvolvimento de bactérias naturalmente presentes na boca humana. O consumo é simples: basta imergir alguns pauzinhos de canela em um copo de água (em temperatura ambiente), ou ferver uma colher do pó com água. O chá coado também atua como enxaguante natural.

A canela, em pau ou em pó, é um poderoso remédio natural para controlar o diabetes.
Canela em pau e em pó, facilmente encontrada em supermercados.

As frutas cítricas são bons remédios naturais para o mau hálito. Limão, abacaxi, morango, laranja (com exceção da laranja-lima), tangerina, lima, pêssego e romã ajudam a controlar as colônias de bactérias, porque o teor de acidez inibe a multiplicação dos microrganismos. Desta forma, quem sofre com o problema deve dar preferência às frutas mais ácidas.

Os limões são excelentes frutas cítricas para o combate do mau hálito.
Os limões são excelentes frutas cítricas para o combate do mau hálito.

O bicarbonato de sódio é uma espécie de curinga, não apenas na higiene pessoal, mas também na limpeza de residências. O sal é empregado para eliminar maus odores em estofados, tapetes e cortinas, nas caixinhas sanitárias dos gatos, etc. No combate ao mau hálito, o bicarbonato de sódio (meia colher de chá) pode ser dissolvido em um copo americano de água morna (200 ml) e empregado como enxaguante bucal depois das refeições.

O bicarbonato de sódio: inodoro, insípido e muito eficaz.
O bicarbonato de sódio: inodoro, insípido e muito eficaz.

O cravo-da-índia ajuda a desodorizar o hálito (e até de ambientes fechados, que podem ter os odores neutralizados com uma atitude simples: basta espetar pauzinhos de cravo em uma maçã e deixá-la em um local elevado). O cravo-da-índia pode ser mascado, ou utilizado para fazer chás. O importante é deixá-lo em infusão por pelo menos cinco minutos.

Os pauzinhos quase miraculosos do cravo-da-índia.
Pauzinhos de cravo-da-índia, que podem ser mascados ou ingeridos como infusão.

A popular salsinha, presente em muitos pratos da culinária brasileira, também combate o mau hálito. A erva é rica em clorofila (também presente nas folhas verdes cruas, salsão, menta, hortelã e abacate). A substância neutraliza os odores da boca e garganta e também higieniza e confere excelente sensação de frescor.

A salsinha, muito presente nas receitas brasileiras.
A salsinha, muito presente nas receitas brasileiras.

Casos severos de halitose

Para os casos mais graves de mau hálito, é possível preparar alguns remédios naturais, que devem ser utilizados até que os sintomas desapareçam. É o caso, por exemplo, de:

• chá de hortelã. Não se trata de uma simples infusão corriqueira. O chá deve ser preparado com uma colher (chá) de folhas de hortelã imersa em 200 ml de água e fervente. Deixe descansar por 15 minutos (com o recipiente tampado), coe e faça dois bochechos diários. As propriedades antissépticas da erva contribuirão para neutralizar os maus odores. Durante o dia, é possível mascar folhas de hortelã, para complementar o tratamento;

• o gengibre também pode ser utilizado da mesma forma. Corte algumas rodelas do tubérculo, retire as cascas e deixe-as em imersão por dez a 15 minutos em água fervente. Coe a infusão e faça bochechos depois das refeições. Mascar gengibre cru também é uma boa solução e a raiz pode ser ralada e polvilhada sobre alimentos crus (sucos e saladas, por exemplo), para compensar a presença de alguns ingredientes (como a cebola);

• este remédio caseiro para o mau hálito dá um pouco mais de trabalho. É necessário misturar uma colher (chá) de extrato de hamamélis, meia colher (chá) de glicerina vegetal, três gotas de óleo essencial de hortelã e 125 ml de água. Coloque todos os ingredientes em um recipiente vedado e agite vigorosamente. Faça bochechos com o preparado sempre depois de escovar os dentes.

Sempre é importante que, mesmo com todas as medidas de higiene e alterações na rotina alimentar, o problema do mau hálito persistir, é um aviso do organismo de que chegou o momento de marcar uma consulta com o dentista, profissional capacitado para investigar outras causas.

Um comentário

Deixe sua resposta

Deixe uma resposta