Use o gengibre para reduzir a circunferência da sua cintura

Aproveite os múltiplos benefícios do gengibre a favor da estética.

O gengibre é uma raiz que além de ser usada na culinária, possui propriedades antiinflamatórias, antioxidantes, antivirais e antibacterianas. Ela é muito utilizada nos tratamentos digestivos e na desintoxicação do organismo, além de ser um poderoso afrodisíaco.

Foi comprovado, ainda, que o gengibre atenua os efeitos do inchaço corporal e queima as gorduras, uma excelente novidade para quem quer manter a boa forma. Além de todos os benefícios que o gengibre traz, o seu uso através de compressas aplicadas diretamente na pele ajuda a diminuir as medidas da cintura, esculpindo-a.

Mesmo ao emagrecer e alcançando o peso ideal, nem sempre é possível voltar a ter aquela cinturinha de antes. Porém, isto não deve ser motivo de frustração. As compressas de gengibre afinam o abdômen uma vez que as células de gordura acumulada se desprendem e depois são queimadas pela sua ação termogênica. Este é um tratamento natural, barato e acessível, sem que haja necessidade de recorrer a procedimentos estéticos de alto custo. Sem efeitos colaterais ou reações adversas, as compressas de gengibre só não são indicadas para pessoas que possuem alergia a esta raiz. Confira o passo-a-passo:

– Rale gengibre fresco até completar meio copo;
– Coloque 1 litro de água em uma panela, junte o gengibre e leve ao fogão em chama alta;
– Ao ferver, desligue o fogo e espere amornar.
– Embeba um pano de algodão na água;
– Escorra água da compressa e aplique diretamente na pele. Cuidado para não queimar a barriga;
– Ponha uma toalha por cima para retenção de calor;
– Quando o pano esfriar, substitua a compressa. Repita três vezes;
– Faça este procedimento até três horas depois da preparação da infusão;
– Se você deseja um resultado rápido, faça as compressas duas vezes por semana.

É um tratamento simples que promete derreter aquelas gordurinhas indesejadas e que restaram depois da dieta. Não é recomendado para mulheres grávidas, crianças e idosos.

Também Recomendamos

Deixe uma resposta